Centro de Tecelagem Fios do Cerrado

A milenar arte da tecelagem pode ser comparada às digitais dos tecelões que imprimem cada um, ao seu modo e gosto, a estética e o formato das peças produzidas. Como forma de valorizar 20 cidadãos envolvidos no artístico e paciente trabalho de tecer, a Prefeitura de Uberlândia, por intermédio da Secretaria de Governo, entregou nesta quinta-feira (28) o Centro de Tecelagem Fios do Cerrado, no bairro Patrimônio. Também foi uma forma de revitalizar o espaço onde os artigos são produzidos e oferecer à cidade em seu aniversário de 126 anos mais uma opção de compras, lazer, esporte e cultura.

O espaço onde antes funcionava o Centro de Fiação e Tecelagem foi totalmente revitalizado e agora conta também com loja, academia ao ar livre e parque infantil. Outras novidades serão a cafeteria, com previsão de entrar em funcionamento no mês de setembro, e a promoção de cursos e oficinas para manter a tradição do tear com as futuras gerações.

Criado no ano de 1992, na gestão do então prefeito Virgílio Galassi, o Centro recebeu agora, com mais de 20 anos de existência, sua primeira grande requalificação. As obras que iniciaram em dezembro de 2013 tiveram investimentos no valor de R$ 700 mil. Durante o período, preocupada com a continuação do serviço e o empenho de quem se dedica a ele, a equipe da Secretaria de Governo realocou os teares para o saguão do Centro Administrativo Municipal. Foi um avanço para todos, uma vez que o trabalho ganhou mais visibilidade e notoriedade ao ser divulgado pela imprensa e descoberto por milhares de pessoas que diariamente frequentam o espaço público.

No Centro Administrativo, foram produzidas mais de duas mil peças e os trabalhos de urdir, cardar, fiar e tecer fizeram parte também do dia a dia dos servidores, embalados pelo som dos teares. A interação foi tanta que, antes de voltar para o Centro de Tecelagem, as 19 tecelãs e um tecelão percorreram todas as secretarias municipais e se despediram com abraços e sorrisos e uma mostra de artesanato para cada secretário.

 

Estrutura totalmente revitalizada

O Centro de Tecelagem Fios do Cerrado está localizado em uma área de 1.200 metros quadrados. Além de ser um lugar repleto de tradições, o local agora é impulsionado como ponto turístico. Uma mudança significativa é a entrada. Antes, a portaria era acessada pela avenida Francisco Galassi, e agora foi transferida e ganhou mais visibilidade pela avenida Rondon Pacheco, uma das mais utilizadas por condutores de Uberlândia e outras cidades.

A loja para venda dos produtos confeccionados foi aprimorada com disposições amplas e de alto estilo. Uma cafetaria foi adicionada ao projeto e para acessá-la, assim como a loja, um deck foi criado para dar caracterização diferenciada às duas áreas.

Toda a estrutura foi pintada, novas portas foram instaladas e o telhado foi completamente trocado. As antigas telhas de amianto foram substituídas por termoacústicas, que reduzem gastos com energia, refrigeração e controle de emissões sonoras. A parte elétrica foi refeita, assim como a iluminação, e os sanitários foram completamente reformados. Ainda na parte interna, o jardim de inverno passou por revitalização na íntegra.

Já na área externa, onde fica uma pequena praça, a pavimentação e o calçamento foram trocados e novos bancos e mesas de jogos foram instalados. A praça também passa a contar com academia ao ar livre e playground. Quanto ao paisagismo, uma nova arborização foi pensada para o espaço.

 

Centro foi inaugurado em 1992

 

O Centro de Tecelagem foi criado no ano de 1992. De acordo com a secretária de Trabalho e Ação Social da época, Niza Luz, que participou da fundação do espaço, o projeto foi concebido durante o mandato do prefeito Zaire Rezende (1983-88) e colocado em prática durante o exercício do prefeito Virgílio Galassi (1989-92). Ela conta que foi um resgate da cultura geral e também regional e que se sente honrada em ver que o trabalho deu excelentes frutos.





Tecelagem exige dedicação

Antes de chegar ao tear, o algodão passa por métodos manuais de preparação. Inicialmente, ele é batido para abrir a pluma. Em seguida, vem a fase de cardar o algodão e deixá-lo uniforme para depois fazer o fio na roda, com a espessura desejada. Depois de urdido, o fio é levado para o tear e em seguida é feito o acabamento. É quando a peça passa pela última etapa de preparação. Quem define a forma da peça a ser criada é o tecelão. Ao dispor os fios no tear, ele pode produzir tapetes, forros, guardanapos, revestimentos para estofados, mantas e outros artigos. Tudo depende da imaginação de quem comanda o tear, todo montado com madeiras encaixadas, rústicas e sem parafusos, porém firmes e eficientes para o trabalho.



Funcionamento:

- Visitação: Segunda a Sexta-feira, das 7h às 18h.

- Espaço de produção: Segunda a Sexta-feira, das 7h às 12h30

- Espaço de Vendas: Segunda a Sexta-feira, das 9h às 18h e Sábado das 9h às 13h

 

Texto e fotos: Secom – Prefeitura de Uberlândia